Sexta, 21 de abril de 2017, 07h54
Tamanho do texto A- A+


Opinião

Implantes na infância: quando fazer?

O importante a ser considerado na instalação de implantes é a idade biológica e não a cronológica do paciente

Crianças também podem receber implantes? Esta é uma pergunta bastante freqüente nos nossos consultórios. Geralmente as duvidas sobre a idade mínima para a colocação de implantes surgem quando nos deparamos com uma situação clinica que nos leva a indicar implantes na infância.

O uso de implantes osseointegráveis provisórios na reabilitação protética de crianças é uma alternativa viável e pode promover um resultado consideravelmente melhor quando comparado aos métodos protéticos tradicionais.

O importante a ser considerado na instalação de implantes é a idade biológica e não a cronológica do paciente. Existem divergências sobre a idade da maturidade óssea, podendo lançar-se mão de analise dos índices para estabelecer esses critérios.

Várias situações sugerem o uso de implantes osseointegráveis em pacientes jovens, entre elas, pode-se salientar, os traumas, anodontias, tumores, displasias ectodérmicas e outras.

 

Nos últimos anos, com a predictabilidade dos implantes em forma de raiz, o interesse pela utilização de implantes nesses pacientes tem aumentado. No entanto, do ponto de vista fisiológico ainda tem-se que reagir com cautela a esses tratamentos devido aos vetores de crescimento existente nesses pacientes.

Cronin (1994) sugeriu que a melhor idade para se instalar implantes em pacientes jovens é de 15 anos para o sexo feminino, e de 18 anos para o sexo masculino.

Para determinar a idade óssea, é necessário a analise da radiografia de mão e punho nos permite diagnosticar o maior pico de crescimento e o termino deste para cada individuo.

O fim do crescimento ósseo, segundo alguns autores, varia de idade e conforme o sexo. Apesar do sucesso da Osseointegração nesses pacientes, inúmeros problemas quanto a reabilitação protética vem sendo relatados com as mais diversas soluções possíveis.

Mediante exposto, parece conveniente que o uso de implantes só se realize quando dar maturação óssea. Não existe um consenso entre os profissionais para afirmar a viabilidade de se instalar implantes em pacientes jovens.

Em algumas situações, pode-se lançar mão de implantes osseointegráveis para pacientes jovens, sabendo-se dos problemas futuros que isso acarretará.

Preferencialmente, deve-se esperar a maturidade óssea do individuo para instalação de implantes.

Ernani Caporossi é especialista em Dentistica Restauradora e Prótese Dental, MBA em Gestão em Saúde, membro fundador da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE) e da Academia Brasileira de Osseointegração (ABROSSI). Há 33 anos atende em Cuiabá em clínica privada.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2013 - Todos os direitos reservados